8 de jan de 2013

Momentos.

Há dias que acordo em uma completa nostalgia. Lembro-me da infância, de quando tudo era fácil. Das brincadeiras, lembro de um mundo onde tinha amigos e não passava pela minha cabeça me decepcionar com eles. Aliás, nem sabia o significado da palavra "decepção" e muito menos quanto ela é capaz de machucar. Me recordo da preocupação dos meus pais quando eu ralava o joelho e também do quanto eles detestavam a ideia de eu jogar vôlei na rua (algo que não mudou muito até hoje). Lembro da ânsia de crescer e saber quantas estrelas haviam no Céu, conhecer a Lua. Lembro dos meus sonhos e de não ouvir tantas ladainhas sobre o caos que era o mundo - talvez até porque não tinha muito o que ser dito. Lembro de pequenos momentos, de quando meu avô se vestia de Papai Noel e minha irmã chorava de tanto medo; Lembro dos presentes, das festas em família e de como meus familiares diziam: "Como você cresceu!" e eu achava tudo aquilo ótimo, mal sabendo o que me esperava. Vejo que o tempo passa rápido, e o que sobra disso tudo são apenas lembranças. E algumas (no meu caso, muitas) fotografias. Lembranças de um passado ingênuo e cor-de-rosa: Como de qualquer outra criança. Brinquei, ralei os joelhos, os braços e até cortei a testa; Não conseguia andar de bicicleta, sequer atravessar a rua sozinha. Mas são coisas que aprendi com o tempo e há tantas outras que desejo aprender. Hoje, no final da manhã, me peguei pensando em várias coisas que vivi. Hoje é dia oito de janeiro de 2013, e essa data nunca irá se repetir, assim como todas as outras datas. E momentos. E sorrisos. E sonhos. E a mesma dúvida de sempre: Estou fazendo tudo valer à pena? Estou fazendo as escolhas certas? E as portas e caminhos que se abrem nessas novas fases da vida, vão me levar à felicidade? Meu futuro é incerto. Tudo que escolhi hoje pode me levar a tantas coisas; Desde o sabor do milkshake à resposta que devo a um amigo. A vida é incerta, os caminhos são longos - mas não podemos deixar que sejam maiores que os nossos sonhos.

2 comentários:

  1. Às vezes me sinto assim também, me pego pensando em momentos que vivi, e que nunca mais vão voltar. Lembranças essas, doces, e que me trazem tanta saudade. Saudade daquela época perfeita de joelhos ralados ao invés de corações partidos... ;D
    Lindo texto ;D
    Se puder dar uma passadinha
    http://leituraesuasmanias.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir